Você sabe para que serve a consultoria de imagem e estilo?

Vestir-se bem vai além da escolha da blusinha certa. Aquilo que a gente veste diz para o mundo desconhecido quem somos. Claro que é possível mudar uma imagem a princípio equivocada, mas, na real, tem momentos em que a gente não quer errar. Ou nem pode!

A consultoria de imagem vai além do bê-á-bá sobre roupas. O objetivo é entender quem você verdadeiramente é e conseguir transmitir isso através da vestimenta, acessórios, cabelos e até mesmo do comportamento.

Esqueça as ideias equivocadas que você provavelmente tirou dos programas de TV. Ali, temos apenas um recorte bem pequeno de toda a profundidade envolvida no processo de consultoria. A meta é mais intensa. É entender o outro, desvendá-lo e, aí sim, mostrá-lo ao mundo da forma que ele deseja: acertada e muito mais feliz.

Aos poucos, contarei por aqui como funciona cada etapa. É uma delícia, tenho certeza que vocês vão amar!

Anúncios

Como fazer compras mais inteligentes

Ouso dizer que todo mundo já comprou uma roupa e se arrependeu, porque a bendita ficou encalhada no armário. Por isso, é preciso refletir com cautela antes de passar o cartão. Faça para si mesmo as perguntas abaixo. Se o seu objeto de desejo passar pelo crivo delas, leve. Caso contrário, esqueça e vá para casa ver Netflix.

Card

Não adianta comprar mais uma camiseta branca se o que você precisa mesmo é de um bom short jeans. O que você normalmente sente falta ao se vestir? É isso que precisa adquirir!

A blusinha in-crí-vel que só combina com uma saia verde limão não é uma roupa para levar! Peças solitárias tendem a ser um problema a longo prazo: enjoamos facilmente, porque têm sempre a mesma cara.

Ter roupas que não gosta é uma péssima forma de lidar consigo mesmo. Salvo algumas exceções, como as fardas, é importante uma dose de amor, senão você não vai ter vontade de usar depois.

Não seja a pessoa que gasta o dinheiro do curso profissionalizante naquele sapato lindão daquela marca super cara. A vida vai além das bolsas de grife e prioridade é tudo. Se você não tem a grana, não adianta quão barato esteja, a promoção não resultará em economia, mas sim em gasto vazio!

Vocês costumam se questionar alguns desses pontos antes de fazer a compra?

Achados em lojas + dicas de estilo

Fiz uns achados na Renner do Salvador Shopping e trouxe as dicas de estilo para vocês! Vamos lá?

IMG_4942

Nesse look, dá para a gente ver como uma terceira peça muda tudo! O quimono de veludo deu muito mais graça à dupla básica calça jeans + t-shirt. O formato mais largo da peça, com mangas bem grandonas, é bom para quem não quer marcar o corpo e/ou tem o tronco mais estreito e deseja equilibrar isso.

Já o detalhe branco em toda a lateral da calça ajuda a parecer que a perna é mais comprida, o que pode ser ainda mais acentuado com o uso de uma calça de cintura alta. Essa listra do ladinho tem uma pegada esportiva, mas vem sendo inserida em diversos tipos de tecido, até mesmo em calças sociais. É o que faz a diferença no look e deixa tudo mais interessante! Valores: A calça está de R$ 79,90, a camiseta de R$ 39,90 e o quimono, na promoção, por R$ 59,90.

IMG_4917

As calças pantacourt já foram incorporadas ao armário feminino, mas a versão jeans ainda não foi tão popularizada assim. Uma modelagem diferente tem o poder de transformar a imagem de quem a usa e imprimir a sua personalidade de modo muito direto. Você mesmo é capaz de dizer a diferença entre as mensagens transmitidas por uma calça skinny, flare e pantacourt! É só refletir um pouco sobre as referências de roupas que normalmente estão associadas a essas peças.

O look acima ganhou ares de sensualidade em virtude do body decotado (em movimento fica bastante pele à mostra!). O formato, que alonga visualmente a parte de cima por causa do decote V, associado às mangas largas, deixa tudo na medida certa, sem ficar nem vulgar, nem fechado demais.

Unir uma peça mais sexy (o body) com outra mais clássica com um quê moderno (a pantacourt) é a demonstração de que equilibrar os estilos resulta num look harmônico e interessante.
Para complementar, tanto salto quanto tênis ficariam ótimos, a regra aqui é usar o que te deixa mais confortável e adequada. Valores: calça por R$ 99,99 e body por R$ 89,90.

IMG_4908

A tal da terceira peça é exaustivamente citada nas dicas de moda, mas tem um bom motivo. Acrescentar um diferencial à roupa colabora para a transformação do look. Seja através de um acessório impactante, um sapato diferentão ou uma peça a mais para sair do básico.

No caso da foto, o vestido soltinho não marca a cintura e, para criar esse efeito, você pode usar uma camisa, como fiz. Para quem não tem cintura definida (corpo retangular) é uma saída interessante. Só preste atenção para fazer a amarração na parte mais fina do tronco, justamente para criar a ilusão de uma cinturinha.

Outra tática que me ocorreu na hora foi a de usar a camisa para ajustar o tamanho do vestido. Ele estava na altura do joelho e, puxando para cima, consegui deixar no tamanho que eu queria.

Dá pra criar diferentes efeitos com as roupas, basta apurar o olhar e não ter medo de errar. Se ficar feio, é só não repetir e pronto! Valores: vestido por R$ 99,90 e camisa por R$ 139,90.

IMG_4966

A graça de algumas roupas está justamente na simplicidade e nos detalhes. Na combinação acima, o short jeans com a parte vazada com certeza sai do lugar comum.
Quando essa tendência começou a aparecer, fiquei meio desconfiada sobre a aplicabilidade dela na vida real. Ou mesmo se tinha achado bonito haha Mas depois que vesti, achei bem interessante, viu? A faixa de pele exposta é pequena o suficiente pra ser confortável de usar mesmo se você não se sente à vontade em expor sua barriguinha por aí. Ao mesmo tempo, é um pedaço grande o bastante para fazer a diferença no look!

Para complementar, usei um cardigan de tamanho maior que o meu para dar um efeito mais folgadão e contrapor com o short. A ideia era justamente tirar a sensualidade natural de um short curto e com recortes. Consegui!
E a estampa? Ah, as listras… meu coração dispara ao ver uma peça listrada dando sopa por aí! Se a sua ideia é parecer menor na parte de cima, melhor optar por um cardigan do seu tamanho e sem as danadas listras. Valores: short por R$ 89,90 e cardigan por R$ 59,99.

De qual vocês gostaram mais?

3 peças essenciais para uma advogada

Ditar regras sobre o que é essencial ou não na vida (ou armário) de alguém parece muito pretensioso, eu sei. Mas quando se trata de looks formais, existem algumas dicas que não podem ser ignoradas.

Quando se está iniciando na carreira, a vontade que dá é entrar na Zara ou Renner mais próximas e comprar toda a sessão de roupas formais. Mas infelizmente a maioria das mortais aqui não podem cometer esse ato de loucura sem encarar uma grave consequência (popularmente conhecida como fatura no final do mês!). Por isso, vamos começar esse armário de advogada de forma humilde, mas acertada?

Calça preta

Como boa companheira que é, ela pode te acompanhar por dias a fio e, somente trocando de blusa, ninguém provavelmente iria nem notar.

Opte por um modelo que valorize o seu tipo físico e que seja de qualidade, já que ela passeará com você de forma exaustiva por aí.

IMG_5026

Blazer preto

Ele tem uma incrível capacidade de formalizar looks banais.

É só jogar por cima de um blusa sem mangas para estar adequada aos ambientes fechados, sem morrer de calor pelas ruas de Salvador.

Observe a modelagem! Para um primeiro investimento, melhor optar por um modelo básico e mais usável.

IMG_5029

Sapato nude

Sapatos nudes pesam menos visualmente e por isso são melhores que os escuros. Além disso têm um poder alongador da silhueta.

Salto alto não é obrigação! Escolha um modelo fechado de acordo com ambientes formais e seja feliz! Mas antes de comprar repita o mantra: adequação é tudo nessa vida.

IMG_5032

Já tinham alguma dessas peças no armário?

Somos vítimas das comédias românticas

Sim, ouso dizer no plural que nós, mulheres por volta dos 25 anos somos todas vítimas das comédias românticas e inúmeras temporadas de Malhação que assistimos por anos a fio.

PS IMPORTANTE: Não tenho a pretensão de nesse texto contemplar todos os tipos de personalidade feminina existentes na face da Terra, então não pense nem por um momento que acredito que toda e qualquer mulher deseja casar e ter filhos. Para aquelas que traçam caminhos diferentes para vida, desejo que também sejam felizes! Não me levem a mal, tá? Mas esse texto é direcionado para mulheres que assim como eu anseiam por esse final.

Algumas de nós, muito sabiamente e arrisco dizer com uma coragem que agora virou moda, mas lá pelos idos dos anos 2000 não era tão comum, conseguiram se libertar das amarras trazidas pelas belas histórias de amor da sessão da tarde e, possivelmente, foram mais felizes assim. Outras, sortudas na vida, sonharam todos os dias com o cara perfeito que chegaria para completar a vida e eis que esse boy realmente apareceu. A vocês, meus parabéns!

Love 3

Para a maioria a verdade é uma só: comédia romântica e vida real são coisas absurdamente diferentes. E tá tudo bem que seja assim. Como incurável romântica que sou, ainda que lutando fortemente com a profunda racionalidade com a qual lido com muitas coisas, acredito piamente que um dia terei aquele final feliz com um belo letreiro de The End subindo.

O problema não é esse desejo. Não é sonhar com uma vida amorosa incrível. Nunca me atreveria a dizer isso. A questão é outra: como fomos doutrinadas a acreditar num modelo definido de felicidade no amor. Machista muitas vezes (mas hoje não é dia de falar sobre isso) e, pior, para muitas de nós inalcançável.

Love

Será que um dia, andando distraída pela faculdade deixarei cair um caderno, me abaixarei para pegar e o homem da minha vida vai se abaixar também e, pronto, tá formado o meu “feliz para sempre”? Sendo honesta, acho que não. Tampouco vamos consertar o cara galinha e transformar ele num excelente pai. Muito menos precisamos, na series finale da vida, largar nosso emprego em Paris e ir atrás da nossa alma gêmea para sermos felizes de verdade (entendedores entenderão).

À medida que nos tornamos as mulheres que sonhamos ser, de dar orgulho para nossas mães que sempre nos disseram que “primeiro você tem que ser independente pra depois pensar em casamento” (e isso é incrível!), ainda no fundo queremos sim viver no último episódio da novela, onde todo mundo se casa, tem filhos e vive feliz para sempre.

Então como lidar com a realidade? Não preciso dizer que nem tudo vai acontecer como planejado, principalmente num mundo onde as pessoas não estão muito dispostas a ceder e se relacionar. Sermos nós mesmos é um ato de coragem que poucos costumam praticar nesses tempos loucos em que vivemos.

Love 2

Eu não tenho a fórmula de como lidar com esses impasses, mas creio que o caminho mais eficaz seja aceitar que a vida não é como queremos, os caminhos não acontecem como nos filmes e possivelmente os finais são absurdamente distintos. Mas nem por isso têm menos valor. A felicidade é a meta, venha como vier. Saibamos que ela nem sempre virá como esperado e aceitemos isso.

Tudo bem que escrevo esse texto enquanto ouço “still feel like your man” de John Mayer. Claramente eu sou uma romântica incurável. Claramente eu talvez não saiba o que estou falando. Mas ok. Sigo tentando.

Estilo Navy

Com certeza você já ouviu falar do estilo de roupa navy e acredito que já tenha se encantado com um ou outro look com essa pegada marinheira. A moda navy é inspirada no estilo marítimo e é marcado pelas cores azul marinho, vermelho e branco, o uso do peças de alfaiataria e, claro, das listras! Para não ficar fantasiada por aí, vamos a algumas dicas de como inserir detalhes desse estilo no dia-a-dia:

Montagem 3

Aposte nas cores azul marinho, branco e vermelho! Essas são as mais características do estilo e são muito fáceis de combinar. Sem contar que transitam entre ambientes formais e despojados sem deixar quem as usa muito caricato.

As listras são A estampa do estilo navy. Como boa amante delas que sou, é só ver uma peça listrada que já saio correndo para usar. De todos as larguras e cores, mas normalmente usadas na horizontal, o único pequeno problema (?) é que causam a sensação de aumento na largura da silhueta. Se isso te incomodar muito, a dica é usar uma terceira peça que forme uma linha vertical, como blazers, casacos, coletes, jaquetas, enfim, acho que vocês entenderam a ideia!

Montagem 1

As modelagens de alfaiataria são a cara desse estilo. Shorts estruturados e de cintura alta são perfeitos para montar um look informal e ainda assim elegante. Além disso, esse tipo de cintura (da calça/short) é ótima para definir a cintura (do indivíduo). Se o short for curtinho, de quebra ainda causa a sensação de que as pernas são mais compridas!

Os sapatos que mais combinam com esse estilo são as espadrilles, dock sides e qualquer outro que tenha detalhes em cordas e de amarrações. Se forem listrados e nas cores principais do estilo, a referência fica ainda mais óbvia e difícil de errar!

Montagem 2

E CLARO que os homens também podem usar esse estilo. Como a maior parte da ala masculina não curte demorar muito tempo para se arrumar, nem chamar atenção excessiva para o que está vestindo, as peças navy são ótimas para incorporar um toque mínimo de fashionismo, mas usando roupas básicas e discretas.

560-8200 016-8185

O que vocês acham desse estilo? Costumam usar no dia-a-dia? Me contem nos comentários!

Não estou preparada para envelhecer

A música de Sandy nunca fez tanto sentido como agora: “sou jovem pra ser velha e velha pra ser jovem”. Correndo o risco de soar louca, tenho que confessar que estou assustada com a proximidade cada vez maior dos 30 anos.

Lá naquele passado distante da adolescência, imaginava que aqui, do alto dos 25, eu teria uma vida tão diferente. 25 é tão adulto, né? E isso é bom. Mas também ruim. Estou soando confusa, vou tentar me explicar.

Ao mesmo tempo em que sempre desejei fortemente ser adulta e independente, estou com uma síndrome torta de Peter Pan e quero ficar para sempre na casa dos 20. Dá pra entender?

Life 1

Apesar de suportar responsabilidades muito maduras, não consigo me visualizar com tanta idade. Olho pro futuro e imagino determinadas coisas tão distantes que não cabem na cabeça de uma pessoa de 25 anos.

E o sucesso que já deveria ter alcançado a essa altura do campeonato? E o mundo que eu já deveria ter conhecido? E as experiências incríveis e loucas que já deveria ter vivido? A minha listinha de pendências é imensa a ser completada até chegar aos 30 e bem proporcional ao meu desespero em pensar que talvez nada disso se realize.

A pergunta que Amarante, sempre muito sábio, fez a todos nós um dia vive rodeando minha mente: e se eu fosse o primeiro a voltar pra mudar o que eu fiz, quem então agora eu seria? Talvez o início do envelhecimento fosse mais feliz. Mas muito provavelmente não.

A verdade é que esse processo é tão interno que diz mais sobre o modo como vemos a nossa história do que a nossa história em si. Se para alguns, os meus feitos são muito para alguém da minha idade, para outros eles podem não ser absolutamente nada. Mas e para mim?

Live 2

Assim como uma amiga me disse certo dia, não quero ser uma pessoa que não sabe envelhecer. Para tanto, precisamos fazer o difícil exercício de reconhecimento das coisas boas que já aconteceram e de toda a sabedoria que a idade nos traz. Seja qual idade for. Esteja você em que fase da vida estiver. Porque se lamentar não pode ser uma alternativa, concorda?

4 dicas para deixar seus looks formais menos caretas

Infelizmente quem trabalha no mundo corporativo e não curte muito a vibe das roupas formais sofre horrores na hora de se arrumar pro trabalho. Como fugir dos terninhos e das roupas sem graça?

Queria, mas não posso te dizer para pirar de vez e aparecer em plena segunda-feira com uma calça jeans destroyed, mas posso te ajudar a minimizar a dor e a amargura que é se vestir todo santo dia. Vamos lá?

Coloque um pouco de cor

A maioria das roupas formais são compostas por uma gama de cores que contempla o preto, o azul marinho, o cinza, o nude e o branco, correto? Não tenho absolutamente nada contra esses tons, mas nem só disse se vive o guarda-roupa, principalmente das meninas que amam um bom colorido.

Admita que nós mulheres temos uma grande vantagem sobre os homens no quesito vestimenta e vamos nos aproveitar disso. Roupa formal feminina não significa apenas uma calça e camisa sociais. Então há bastante espaço para diversas opções fora da caixinha.

Troque seu scarpin nude ou preto por um vermelho, verde musgo ou até pink. Use um cinto ou uma bolsa coloridos ou estampados. Aposentar um pouco o blazer preto e usar um branco ou nude também é uma ótima opção! Quer ousar mais? Substitua a camisa branca por uma mais colorida, a saia lápis preta por uma de cor mais chamativa. Para não destoar muito do ambiente, o segredo é escolher uma peça diferentona e manter as outras mais discretas. Vejam esses exemplos que lindos:

Cores

Opte por modelagens diferentes

Calça de alfaiataria, saia lápis e camisa são clássicos. Mas uma calça não precisa ser sempre igual e as pantacourts estão aqui para mostrar isso! Além dessas, para uma casual friday, podemos substituir a calça skinny pela mom jeans. Essas são duas peças muito em alta e que vão dar um toque de fashionismo ao look.

No lugar da saia lápis, opte por uma saia midi rodada e veja como muda completamente a cara da roupa. Trocar a camisa social padrão por uma com a manga beem aberta como essas aqui abaixo também ajuda a mudar a carinha do look. Em vez de usar um blazer de modelagem tradicional, escolha um sem botões e com as pontas maiores ou mais comprido e oversized ou mesmo um maxi colete como esse da foto. Que tal?

Modelagens

Escolha texturas e tecidos fora do comum

Você já pensou em substituir a calça tradicional por uma de chamois? Fica incrível e muito diferente do que estamos acostumados a ver por aí! Ou então usar um calça de moletom? Calma, para não sair de casa parecendo que caiu da cama atrasada e foi trabalhar, é só usar um salto alto, uma camisa de tecido mais arrumado, jogar um blazer por cima e pronto, está feito um look nada óbvio, mas que ainda assim pode ser adequado, a depender do seu ambiente profissional.

texturas

Até o couro, um tecido que normalmente tende à sensualidade, pode ser usado se com cautela e combinado com peças que não sejam nada sexies. Por fim, fica a dica de usar peças em jacquard, linho ou outro tecido mais nobre e que dará uma texturizada ao look final.

Faça um mix de estampas

Por fim, claro que não poderia esquecer o mix de estampas! Útil em todo tipo de look, nesses mais formais também é super bem-vindo. A dica para não errar na mistura é começar aos poucos. Primeiro, usando estampas de cores iguais ou parecidas. As listras são uma ótima companheira para fazer combinações satisfatórias. Com o tempo você vai pegando o jeito e se sentimento mais livre para combinar!

estampas

O que vocês já usam no dia-a-dia e o que estão precisando arriscar para compor looks mais interessantes? Me contem!

Sim, esse é mais um texto sobre assédio

Há um tempo venho ensaiando escrever sobre esse tema e tenho adiado por pensar que todo mundo já sabe o que vou dizer. Mas pelo visto não. Vivemos na nossa bolha da conscientização e achamos que, assim como nós, todos já enxergam o mundo de modo diferente.

Tá, não é pra tanto. Mas de cá do meu nicho politizado ainda me choco em perceber como tantas pessoas estão absurdamente distantes de entenderem como o mundo mudou. Em todos os sentidos. Certo dia, pela enésima vez, fui assediada ao sair para trabalhar. Vestindo uma roupa formal, sem decotes, sem transparência, sem pedir, sem insinuar, sem nenhuma dessas desculpas comumente utilizadas por gente que ainda ousa falar esse tipo de besteira. Assediada por um senhor que poderia ser até meu avô. Senti nojo, raiva, vontade de responder e nada fiz. Como sempre.

Imagem 2

Outras tantas vezes fui assediada por homens de variadas idades e nada disse pelo puro e simples medo. Outro dia, ouvi gracinhas de meninos vivenciando o início da puberdade. Pessimista talvez, mas são esses mesmos meninos que virarão os assediadores de amanhã.

Pior do que tudo isso são os casos que já ouvi de homens que, pautados na sua posição de poder no trabalho, assediam funcionárias, forçam situações e as deixam desconfortáveis, ignorando por completo a clara rejeição delas. Tudo isso ostentando uma bela aliança no dedo da mão esquerda, porque se os limites morais da mulher são bem estreitos, os do homem não existem.

E se você pensa que os homens ficam com medo de serem pegos em flagrante, pare agora de ser tão inocente. São as mulheres que ficam desesperadas para a todo custo ocultar a história do assédio com medo de que pensem ter sido tudo consentido. Não falo aqui de envolvimento físico real, mas apenas a possibilidade de que alguém ache que a mulher estava dando bola para as investidas reiteradas do cara que estava na verdade forçando a barra por ser o chefe. Isso porque se alguém souber da história toda, a culpada obviamente será a moça que insinuou, pediu, clamou, deu espaço para ser assediada.

Imagem 1

Sim, esse é mais um texto sobre assédio. Eu sei que talvez você não aguente mais ouvir falar desse tema. Sei também que se você é mulher não aguenta mais sofrer com isso ou no mínimo ouvir mais casos sobre. Então ao que parece teremos que falar de novo, de novo e de novo até que um dia discutir isso seja tão inconcebível e desnecessário quanto se perguntar se a Terra é redonda. Até lá, seguiremos escrevendo.

Como montar o guarda-roupa perfeito!

Já falamos por aqui sobre como melhorar o estilo, mas na prática como podemos aplicar essas noções gerais a um guarda-roupa real? Independentemente de qual seja o seu estilo, é interessante seguir alguns conselhos na hora de comprar roupas, pra montar um armário realmente funcional. Do que adianta ter um monte de roupas que não se coordenam, por exemplo? Vem cá que vou te ajudar!

Tenha os seus clássicos

Uma olhadinha rápida nas suas roupas já vai te revelar quais peças são clássicas para você. Por isso, não adianta eu dizer que todo mundo tem que ter uma calça preta ou um blazer branco, porque se sua rotina não incluir utilizar essas roupas de nada vai adiantar tê-las em casa.

Procure analisar o que sempre usa e comprar a peça ideal daquele tipo. Sempre está de calça jeans? Compre uma com o caimento mais adequado ao seu corpo, a sua lavagem favorita, algo que vá durar através das tendências. Ama uma camisa branca? Encontre uma do material que mais te agrada, o corte que te cai melhor, uma camisa realmente versátil e que você poderá usar inúmeras vezes sem enjoar.

Clássicos

Não invista em peças caras e passageiras

Se você é o sortudo que não precisa se preocupar com dinheiro, pode pular essa dica. Se você é um mero mortal, vem comigo! Quando temos que escolher onde gastar nosso rico dinheirinho, é importante refletir se aquela roupa ou acessório será realmente usado a ponto de “se pagar”.

Para isso, procuro perceber se a peça é atemporal ou não. Como não sou escrava das tendências e continuo usando algo que goste muito, ainda que já tenha passado a febre da peça, tento perceber se aquilo perdurará no meu armário pelo meu gosto pessoal. Se você se preocupa muito com o que está na moda e costuma descartar os modelos da estação passada, deve prestar ainda mais atenção nisso.

Segundo

Por esse motivo, se estou à procura de um vestido preto, vejo sentido em pagar a mais por ele. Agora se meu foco é a mule do momento, melhor esquecer o modelo de pelinhos da Gucci e optar por um mais barato na Renner mais próxima, né mesmo? Porque daqui a pouco ninguém mais vai querer sair por aí com esse negócio nos pés, vamos ser honestos haha

Uso a mesma lógica de pensamento para peças muito estampadas. Algo muito marcante provavelmente usaremos menos, então deixo para pagar mais caro em peças lisas e mais usáveis.

Tenha peças que combinem entre si

Recentemente fui ajudar uma amiga a revitalizar o guarda-roupa e percebi o quanto é complicado ter um monte de roupa que não se coordena. De nada adianta você sair comprando peças lindas sem pensar no que já tem em casa. O resultado disso provavelmente serão aquelas duplas que sempre usamos por falta de opção (blusa x combinada toda vez com aquele short y) ou mesmo uma roupa que não se encaixa com nada e nunca será usada.

Combinar

Respeitar o próprio estilo também é muito importante nesse momento. Tudo bem você amar peças estampadas, mas se você não gosta de sair toda florida da cabeça aos pés precisará ter algumas peças mais neutras para combinar. E o contrário também é válido, não adianta querer um ponto de cor se você só compra roupas pretas, brancas e cinzas, correto?

Existem algumas regras que dizem que ao comprar uma roupa ela deve combinar com outras 3 que você já tenha. Caso isso não ocorra, não leve. Além disso, você precisa de mais partes de cima que de baixo, já que o que usamos em cima fica mais em foco e por isso a repetição da peça ficará mais evidente. Então nada de sair comprando loucamente várias saias e shorts e esquecer das blusas, certo? Ah, muita atenção, vestido conta como parte baixo!

Tenha bons acessórios

E quando digo bons não falo aqui de preço, mas sim de qualidade e, mais importante que isso até, coerência com o seu armário. Para quem prefere usar peças menores e discretas  no trabalho e grandes e chamativas na vida social, não adianta só comprar as do segundo tipo e esquecer do primeiro.

Para quem adota um estilo mais criativo, fashionista e extravagante, ter alguns acessórios coadjuvantes é importante, já que as roupas já serão o foco por si só. O mesmo acontece para quem prefere roupas minimalistas, mas quer ter um ponto de atenção no look, melhor escolher acessórios coloridos e que deem o charme que você precisa.

Acessórios!

Não esqueça também de sincronizar os metais. Para quem gosta de sair totalmente combinando, apenas dourado ou apenas prateado, por exemplo, de nada adianta ter um brinco prata, uma pulseira rosé e um relógio dourado. Assim vai ficar impossível respeitar seu próprio estilo.

Compre apenas o que amar

Preciso me apaixonar pela peça para levá-la para casa. Primeiro porque dinheiro não cresce em árvore, infelizmente, então dou valor a cada centavo gasto com roupas. Segundo que não há o menor sentido em comprar algo que eu realmente não tenha gostado. Se não amei, não me senti incrível e não quero morar dentro da roupa, não levo. Sei que muitas vezes estamos desesperados para comprar uma roupa específica para uma ocasião determinada e deixamos tudo tão de última hora que acabamos comprando qualquer coisa para nos livrarmos do problema.

Mas observe comigo como essa lógica está bem equivocada. Salvo algumas exceções, como casamentos, formaturas e eventos que normalmente não se tem uma roupa sobrando de bobeira pra ir, provavelmente você tem algo no armário que não quer usar porque já foi usado antes em outra festa. Aí que você, depois de muito caçar, decide comprar algo que nem gostou tanto assim apenas para ter uma roupa nova para o tal evento. Ou seja, você vai vestida com algo que não amou só para não usar o que já tem em casa. Amando ou não o que você tem, a peça já é sua! Isso não faz o menor sentido, minha gente! Se é pra sair com algo que não gosta, use o que já tem e salve seu dinheiro para uma roupa boa de verdade, não é?

Comprar o que não gostou pra valer é levar pra casa mais um problema, tirar espaço do guarda-roupa, se sentir frustrada toda vez que olhar, se enganar de que já tem roupa demais quando, na verdade, parte daquilo ali nem deveria ter saído da loja.

Amei

A única exceção que abro para essa paixão que me move a comprar é para as roupas do trabalho. Infelizmente a vida adulta nos obriga a comprar peças que muitas vezes não tem nada a ver com o que gostamos de usar, mas que são o casamento perfeito com o dress code da empresa. Aí, minha cara, é sentar e chorar! Dentro das possibilidades reais, invista em algo que você gostou um pouco e tenha adequação ao ambiente, mesmo que não seja o mais profundo e sincero amor à primeira vista.

Que outras dicas vocês adicionariam para montar o guarda-roupa perfeito? No que vocês costumam pensar ao comprar uma roupa?