Não estou preparada para envelhecer

A música de Sandy nunca fez tanto sentido como agora: “sou jovem pra ser velha e velha pra ser jovem”. Correndo o risco de soar louca, tenho que confessar que estou assustada com a proximidade cada vez maior dos 30 anos.

Lá naquele passado distante da adolescência, imaginava que aqui, do alto dos 25, eu teria uma vida tão diferente. 25 é tão adulto, né? E isso é bom. Mas também ruim. Estou soando confusa, vou tentar me explicar.

Ao mesmo tempo em que sempre desejei fortemente ser adulta e independente, estou com uma síndrome torta de Peter Pan e quero ficar para sempre na casa dos 20. Dá pra entender?

Life 1

Apesar de suportar responsabilidades muito maduras, não consigo me visualizar com tanta idade. Olho pro futuro e imagino determinadas coisas tão distantes que não cabem na cabeça de uma pessoa de 25 anos.

E o sucesso que já deveria ter alcançado a essa altura do campeonato? E o mundo que eu já deveria ter conhecido? E as experiências incríveis e loucas que já deveria ter vivido? A minha listinha de pendências é imensa a ser completada até chegar aos 30 e bem proporcional ao meu desespero em pensar que talvez nada disso se realize.

A pergunta que Amarante, sempre muito sábio, fez a todos nós um dia vive rodeando minha mente: e se eu fosse o primeiro a voltar pra mudar o que eu fiz, quem então agora eu seria? Talvez o início do envelhecimento fosse mais feliz. Mas muito provavelmente não.

A verdade é que esse processo é tão interno que diz mais sobre o modo como vemos a nossa história do que a nossa história em si. Se para alguns, os meus feitos são muito para alguém da minha idade, para outros eles podem não ser absolutamente nada. Mas e para mim?

Live 2

Assim como uma amiga me disse certo dia, não quero ser uma pessoa que não sabe envelhecer. Para tanto, precisamos fazer o difícil exercício de reconhecimento das coisas boas que já aconteceram e de toda a sabedoria que a idade nos traz. Seja qual idade for. Esteja você em que fase da vida estiver. Porque se lamentar não pode ser uma alternativa, concorda?

Anúncios

4 dicas para deixar seus looks formais menos caretas

Infelizmente quem trabalha no mundo corporativo e não curte muito a vibe das roupas formais sofre horrores na hora de se arrumar pro trabalho. Como fugir dos terninhos e das roupas sem graça?

Queria, mas não posso te dizer para pirar de vez e aparecer em plena segunda-feira com uma calça jeans destroyed, mas posso te ajudar a minimizar a dor e a amargura que é se vestir todo santo dia. Vamos lá?

Coloque um pouco de cor

A maioria das roupas formais são compostas por uma gama de cores que contempla o preto, o azul marinho, o cinza, o nude e o branco, correto? Não tenho absolutamente nada contra esses tons, mas nem só disse se vive o guarda-roupa, principalmente das meninas que amam um bom colorido.

Admita que nós mulheres temos uma grande vantagem sobre os homens no quesito vestimenta e vamos nos aproveitar disso. Roupa formal feminina não significa apenas uma calça e camisa sociais. Então há bastante espaço para diversas opções fora da caixinha.

Troque seu scarpin nude ou preto por um vermelho, verde musgo ou até pink. Use um cinto ou uma bolsa coloridos ou estampados. Aposentar um pouco o blazer preto e usar um branco ou nude também é uma ótima opção! Quer ousar mais? Substitua a camisa branca por uma mais colorida, a saia lápis preta por uma de cor mais chamativa. Para não destoar muito do ambiente, o segredo é escolher uma peça diferentona e manter as outras mais discretas. Vejam esses exemplos que lindos:

Cores

Opte por modelagens diferentes

Calça de alfaiataria, saia lápis e camisa são clássicos. Mas uma calça não precisa ser sempre igual e as pantacourts estão aqui para mostrar isso! Além dessas, para uma casual friday, podemos substituir a calça skinny pela mom jeans. Essas são duas peças muito em alta e que vão dar um toque de fashionismo ao look.

No lugar da saia lápis, opte por uma saia midi rodada e veja como muda completamente a cara da roupa. Trocar a camisa social padrão por uma com a manga beem aberta como essas aqui abaixo também ajuda a mudar a carinha do look. Em vez de usar um blazer de modelagem tradicional, escolha um sem botões e com as pontas maiores ou mais comprido e oversized ou mesmo um maxi colete como esse da foto. Que tal?

Modelagens

Escolha texturas e tecidos fora do comum

Você já pensou em substituir a calça tradicional por uma de chamois? Fica incrível e muito diferente do que estamos acostumados a ver por aí! Ou então usar um calça de moletom? Calma, para não sair de casa parecendo que caiu da cama atrasada e foi trabalhar, é só usar um salto alto, uma camisa de tecido mais arrumado, jogar um blazer por cima e pronto, está feito um look nada óbvio, mas que ainda assim pode ser adequado, a depender do seu ambiente profissional.

texturas

Até o couro, um tecido que normalmente tende à sensualidade, pode ser usado se com cautela e combinado com peças que não sejam nada sexies. Por fim, fica a dica de usar peças em jacquard, linho ou outro tecido mais nobre e que dará uma texturizada ao look final.

Faça um mix de estampas

Por fim, claro que não poderia esquecer o mix de estampas! Útil em todo tipo de look, nesses mais formais também é super bem-vindo. A dica para não errar na mistura é começar aos poucos. Primeiro, usando estampas de cores iguais ou parecidas. As listras são uma ótima companheira para fazer combinações satisfatórias. Com o tempo você vai pegando o jeito e se sentimento mais livre para combinar!

estampas

O que vocês já usam no dia-a-dia e o que estão precisando arriscar para compor looks mais interessantes? Me contem!

Sim, esse é mais um texto sobre assédio

Há um tempo venho ensaiando escrever sobre esse tema e tenho adiado por pensar que todo mundo já sabe o que vou dizer. Mas pelo visto não. Vivemos na nossa bolha da conscientização e achamos que, assim como nós, todos já enxergam o mundo de modo diferente.

Tá, não é pra tanto. Mas de cá do meu nicho politizado ainda me choco em perceber como tantas pessoas estão absurdamente distantes de entenderem como o mundo mudou. Em todos os sentidos. Certo dia, pela enésima vez, fui assediada ao sair para trabalhar. Vestindo uma roupa formal, sem decotes, sem transparência, sem pedir, sem insinuar, sem nenhuma dessas desculpas comumente utilizadas por gente que ainda ousa falar esse tipo de besteira. Assediada por um senhor que poderia ser até meu avô. Senti nojo, raiva, vontade de responder e nada fiz. Como sempre.

Imagem 2

Outras tantas vezes fui assediada por homens de variadas idades e nada disse pelo puro e simples medo. Outro dia, ouvi gracinhas de meninos vivenciando o início da puberdade. Pessimista talvez, mas são esses mesmos meninos que virarão os assediadores de amanhã.

Pior do que tudo isso são os casos que já ouvi de homens que, pautados na sua posição de poder no trabalho, assediam funcionárias, forçam situações e as deixam desconfortáveis, ignorando por completo a clara rejeição delas. Tudo isso ostentando uma bela aliança no dedo da mão esquerda, porque se os limites morais da mulher são bem estreitos, os do homem não existem.

E se você pensa que os homens ficam com medo de serem pegos em flagrante, pare agora de ser tão inocente. São as mulheres que ficam desesperadas para a todo custo ocultar a história do assédio com medo de que pensem ter sido tudo consentido. Não falo aqui de envolvimento físico real, mas apenas a possibilidade de que alguém ache que a mulher estava dando bola para as investidas reiteradas do cara que estava na verdade forçando a barra por ser o chefe. Isso porque se alguém souber da história toda, a culpada obviamente será a moça que insinuou, pediu, clamou, deu espaço para ser assediada.

Imagem 1

Sim, esse é mais um texto sobre assédio. Eu sei que talvez você não aguente mais ouvir falar desse tema. Sei também que se você é mulher não aguenta mais sofrer com isso ou no mínimo ouvir mais casos sobre. Então ao que parece teremos que falar de novo, de novo e de novo até que um dia discutir isso seja tão inconcebível e desnecessário quanto se perguntar se a Terra é redonda. Até lá, seguiremos escrevendo.

Como montar o guarda-roupa perfeito!

Já falamos por aqui sobre como melhorar o estilo, mas na prática como podemos aplicar essas noções gerais a um guarda-roupa real? Independentemente de qual seja o seu estilo, é interessante seguir alguns conselhos na hora de comprar roupas, pra montar um armário realmente funcional. Do que adianta ter um monte de roupas que não se coordenam, por exemplo? Vem cá que vou te ajudar!

Tenha os seus clássicos

Uma olhadinha rápida nas suas roupas já vai te revelar quais peças são clássicas para você. Por isso, não adianta eu dizer que todo mundo tem que ter uma calça preta ou um blazer branco, porque se sua rotina não incluir utilizar essas roupas de nada vai adiantar tê-las em casa.

Procure analisar o que sempre usa e comprar a peça ideal daquele tipo. Sempre está de calça jeans? Compre uma com o caimento mais adequado ao seu corpo, a sua lavagem favorita, algo que vá durar através das tendências. Ama uma camisa branca? Encontre uma do material que mais te agrada, o corte que te cai melhor, uma camisa realmente versátil e que você poderá usar inúmeras vezes sem enjoar.

Clássicos

Não invista em peças caras e passageiras

Se você é o sortudo que não precisa se preocupar com dinheiro, pode pular essa dica. Se você é um mero mortal, vem comigo! Quando temos que escolher onde gastar nosso rico dinheirinho, é importante refletir se aquela roupa ou acessório será realmente usado a ponto de “se pagar”.

Para isso, procuro perceber se a peça é atemporal ou não. Como não sou escrava das tendências e continuo usando algo que goste muito, ainda que já tenha passado a febre da peça, tento perceber se aquilo perdurará no meu armário pelo meu gosto pessoal. Se você se preocupa muito com o que está na moda e costuma descartar os modelos da estação passada, deve prestar ainda mais atenção nisso.

Segundo

Por esse motivo, se estou à procura de um vestido preto, vejo sentido em pagar a mais por ele. Agora se meu foco é a mule do momento, melhor esquecer o modelo de pelinhos da Gucci e optar por um mais barato na Renner mais próxima, né mesmo? Porque daqui a pouco ninguém mais vai querer sair por aí com esse negócio nos pés, vamos ser honestos haha

Uso a mesma lógica de pensamento para peças muito estampadas. Algo muito marcante provavelmente usaremos menos, então deixo para pagar mais caro em peças lisas e mais usáveis.

Tenha peças que combinem entre si

Recentemente fui ajudar uma amiga a revitalizar o guarda-roupa e percebi o quanto é complicado ter um monte de roupa que não se coordena. De nada adianta você sair comprando peças lindas sem pensar no que já tem em casa. O resultado disso provavelmente serão aquelas duplas que sempre usamos por falta de opção (blusa x combinada toda vez com aquele short y) ou mesmo uma roupa que não se encaixa com nada e nunca será usada.

Combinar

Respeitar o próprio estilo também é muito importante nesse momento. Tudo bem você amar peças estampadas, mas se você não gosta de sair toda florida da cabeça aos pés precisará ter algumas peças mais neutras para combinar. E o contrário também é válido, não adianta querer um ponto de cor se você só compra roupas pretas, brancas e cinzas, correto?

Existem algumas regras que dizem que ao comprar uma roupa ela deve combinar com outras 3 que você já tenha. Caso isso não ocorra, não leve. Além disso, você precisa de mais partes de cima que de baixo, já que o que usamos em cima fica mais em foco e por isso a repetição da peça ficará mais evidente. Então nada de sair comprando loucamente várias saias e shorts e esquecer das blusas, certo? Ah, muita atenção, vestido conta como parte baixo!

Tenha bons acessórios

E quando digo bons não falo aqui de preço, mas sim de qualidade e, mais importante que isso até, coerência com o seu armário. Para quem prefere usar peças menores e discretas  no trabalho e grandes e chamativas na vida social, não adianta só comprar as do segundo tipo e esquecer do primeiro.

Para quem adota um estilo mais criativo, fashionista e extravagante, ter alguns acessórios coadjuvantes é importante, já que as roupas já serão o foco por si só. O mesmo acontece para quem prefere roupas minimalistas, mas quer ter um ponto de atenção no look, melhor escolher acessórios coloridos e que deem o charme que você precisa.

Acessórios!

Não esqueça também de sincronizar os metais. Para quem gosta de sair totalmente combinando, apenas dourado ou apenas prateado, por exemplo, de nada adianta ter um brinco prata, uma pulseira rosé e um relógio dourado. Assim vai ficar impossível respeitar seu próprio estilo.

Compre apenas o que amar

Preciso me apaixonar pela peça para levá-la para casa. Primeiro porque dinheiro não cresce em árvore, infelizmente, então dou valor a cada centavo gasto com roupas. Segundo que não há o menor sentido em comprar algo que eu realmente não tenha gostado. Se não amei, não me senti incrível e não quero morar dentro da roupa, não levo. Sei que muitas vezes estamos desesperados para comprar uma roupa específica para uma ocasião determinada e deixamos tudo tão de última hora que acabamos comprando qualquer coisa para nos livrarmos do problema.

Mas observe comigo como essa lógica está bem equivocada. Salvo algumas exceções, como casamentos, formaturas e eventos que normalmente não se tem uma roupa sobrando de bobeira pra ir, provavelmente você tem algo no armário que não quer usar porque já foi usado antes em outra festa. Aí que você, depois de muito caçar, decide comprar algo que nem gostou tanto assim apenas para ter uma roupa nova para o tal evento. Ou seja, você vai vestida com algo que não amou só para não usar o que já tem em casa. Amando ou não o que você tem, a peça já é sua! Isso não faz o menor sentido, minha gente! Se é pra sair com algo que não gosta, use o que já tem e salve seu dinheiro para uma roupa boa de verdade, não é?

Comprar o que não gostou pra valer é levar pra casa mais um problema, tirar espaço do guarda-roupa, se sentir frustrada toda vez que olhar, se enganar de que já tem roupa demais quando, na verdade, parte daquilo ali nem deveria ter saído da loja.

Amei

A única exceção que abro para essa paixão que me move a comprar é para as roupas do trabalho. Infelizmente a vida adulta nos obriga a comprar peças que muitas vezes não tem nada a ver com o que gostamos de usar, mas que são o casamento perfeito com o dress code da empresa. Aí, minha cara, é sentar e chorar! Dentro das possibilidades reais, invista em algo que você gostou um pouco e tenha adequação ao ambiente, mesmo que não seja o mais profundo e sincero amor à primeira vista.

Que outras dicas vocês adicionariam para montar o guarda-roupa perfeito? No que vocês costumam pensar ao comprar uma roupa?

Dicas de fotografia: entrevista com Marianna Calmon

Atualmente vivemos altamente conectados com o Instagram e outras redes que enaltecem a fotografia e nessa onda de postar a todo momento todo mundo que tirar a melhor foto sempre. Massa, legal, mas como fazer isso?

Como sou uma amadora no mundo da fotografia, chamei a fotógrafa Marianna Calmon para me contar umas dicas de quem entende do assunto. O post está cheinho de cliques lindos que ela fez para vocês babarem muuuito!

Processed with VSCO with a10 preset

Para quem ainda não conhece, a Marianna fotografa para algumas blogueiras aqui de Salvador, como Martinha Fonseca, e arrasa demais! Vem catar umas dicas e melhorar seu feed!

Quais os erros mais comuns que você observa nas fotos amadoras e como evitá-los?

Foto torta e horizonte torto, fundo muito poluído, com muitas distrações (por exemplo, uma lixeira, um carro, pessoas, fios, postes), cortar a foto logo acima da cabeça da pessoa e logo abaixo dos pés. Parece que a pessoa está sufocada na foto, sabe?

Sabemos que muita gente ama fotografar, mas nem todo mundo tem uma boa câmera profissional. Como podemos otimizar o uso da câmera dos celulares para obter uma qualidade o mais próxima possível das profissionais?

Limpar a lente sempre! Evite ao máximo usar o zoom. O zoom das câmeras de celular não costuma ser bom, o ideal é que você se aproxime daquilo que quer fotografar. Use sempre a maior resolução disponível no seu aparelho e edite as suas fotos. Por fim, treine o olhar, pratique. Parece blá-blá-blá, mas o mais importante é o que está atrás das lentes.

DH-87

Existem recursos “escondidos” nos celulares que sejam semelhantes aos de uma câmera profissional?

Depende do aparelho, mas sei que alguns tem uma função para fotos de objetos pequenos (geralmente o ícone é uma flor), HDR e alguns tem uma opção de colocar uma grade no visor (bacana para evitar aquele erro do horizonte torto).

E o que dificilmente conseguiremos reproduzir nos celulares, pois só câmeras muito boas possuem?

A nitidez da foto e a resolução.

Quais os itens técnicos básicos que devem ser observados no momento de fazer uma foto com o celular?

Muitas coisas: luz, foco, enquadramento, ângulo. Como na câmera do celular não temos como fazer muitos ajustes de iluminação, aconselho sempre que possível fotografar na sombra ou com uma luz mais suave do fim da tarde, por exemplo.

Para o foco tem aquela dica de clicar onde você quer que a lente foque. Já enquadramento e ângulo são mais pessoais, mas se movimente, abaixe, suba em um banco, ande, até achar o enquadramento que mais te agrada.

Observe o background da foto, como as lentes de celular normalmente deixam o fundo bem nítido o cuidado tem que ser dobrado. Para foto estilo “look do dia” uma parede ou um portão são sempre boas opções.

Processed with VSCO with c8 preset

O que você considera a coisa mais importante para a qualidade final de uma foto?

Falando tecnicamente são n fatores. Poderia colocar luz e enquadramento no topo da lista. Mas a verdade é que no final das contas o que mais chama atenção é o sentimento que você consegue transmitir através da imagem.

Todo mundo ama uma foto com fundo desfocado, mas é possível obter esse efeito com uma câmera de celular, ainda que eu não tenha um Iphone 7 Plus? Existem apps que nos ajudem a dar esse efeito?

Sou péssima em tecnologia, mas acho que não. Existem apps que criam esse efeito sim, mas eu particularmente acho que fica bem feio. Escolha um fundo bonito (um muro, um portão, uma planta ou até uma rua mais vazia) que a foto fica bem mais simpática do que aquele fundo borrado.

Processed with VSCO with a10 preset

Qual seria a maior dica para obter uma selfie perfeita no sentido de qualidade da foto?

Eu nunca tiro selfies, sou péssima! kkkk Mas use uma luz suave, como a de uma janela, sempre que possível.

Dentre os aparelhos celulares disponíveis hoje no mercado, qual você considera que possui a melhor câmera?

Como falei lá em cima não sou muito tecnológica, mas ouvi dizer que o Galaxy S8 tem uma câmera incrível.

Você costuma utilizar apps de celular para tratar as fotos? Quais você indicaria?

Editar as fotos é importantíssimo e eu particularmente acho divertido. Sou muito fã do VSCO, praticamente só uso ele. O Snapseed também é ótimo.

Mari

Essa é a Marianna. Ela tem 27 anos e há aproximadamente 3 anos e meio trabalha como fotógrafa profissional. Formada em administração, sempre quis trabalhar com moda e depois de fazer um curso de Fashion Image no Istituto Marangoni percebeu que fotografia de moda seria um caminho profissional de seu interesse. A Mari já fez alguns cursos de fotografia e nos contou aqui um pouco do resultado desses conhecimentos e experiência que adquiriu. 

Para quem, assim como eu, se encantou com as fotos, o instagram dela é o @mariannacalmon. Sigam por lá! Mari, muito obrigada por compartilhar essas dicas com a gente!

Eu amei ouvir um pouquinho de uma voz profissional e já estou levando duas coisas em conta na hora foto: limpar a lente (sério, estou meio que paranoica com isso haha, e não cortar a foto logo acima da cabeça e abaixo dos pés. NUNCA na vida ia pensar nisso sozinha! E vocês, no que estão precisando melhorar as fotos? Me contem nos comentários!

Não esqueça de seguir o blog no Instagram e no Facebook!

Looks de São João para a festa do trabalho

Se você mora no Nordeste, já está se preparando para a melhor festa do ano no quesito comidas, certo? Estou ansiosa para o momento em que reencontrarei a canjica, o milho cozido e o amendoim, mas como esse é um blog sobre moda e não sobre comida, voltarei a falar do que importa no momento.

Como normalmente as empresas por aqui costumam fazer festas para comemorar esse período, esse é um momento para parar e refletir que roupa vamos usar. Festas de trabalho costumam ser um momento difícil para escolher a roupa, excetuando as raras pessoas que tem a sorte de trabalharem num ambiente altamente informal e não precisam se preocupar tanto assim com isso.

De modo geral, a maioria dos empregos são formais ou quase lá, então no momento da festa oficial da empresa não é a hora de pirar e sair absurdamente dessa linha, certo? Não, não estou dizendo que pra você ir festejar o São João de calça social e blazer só porque é esse o dress code oficial da firma. Mas ter atenção e refletir sobre o cabimento do look é importantíssimo, afinal ninguém quer ser o comentário da empresa no dia seguinte porque estava com uma roupa inapropriada.

Lembre-se sempre de que essa não é a hora de usar roupas apertadas demais, muito curtas, decotes profundos e afins ou de ir desleixada, de havaianas e regata, como se fosse pra um churras da família. Primeiro, vamos ver aquilo que você NÃO deve usar:

Não!

Massa, mas então eu uso o que? Leve em conta que a menos que o convite indique a necessidade de ir realmente fantasiado, você deve optar por roupas normais, mas nem por isso obrigatoriamente ignorar o clima junino. Separei vários looks com base nas tendências típicas da festa: jeans, xadrez, couro, jardineira e botas. Se você quer seguir o clima, dá uma olhada!

 Jeans

Jeans é a cara do são joão, correto? Em tempos como o de agora onde a jaqueta jeans está super em alta e a camisa do mesmo tecido já é clássico, fica facinho seguir a tendência e acertar no look.

All jeans

Jardineira

Essa é outra peça certeira, seja curta ou comprida. Se quiser se jogar de vez, pode escolher uma camisa xadrez para colocar por baixo.

Jardineira

Saia midi xadrez

Se você quer ficar fina e ainda assim junina, apostar numa saia como essas abaixo é sucesso certo! Lembrando que o salto não é obrigatório e você pode muito bem optar por sapatos baixos, botas, coturnos e afins.

Saia xadrez

Camisa xadrez, calça skinny e bota

A camisa pode ser usada aberta, como na primeira foto, fechada ou ainda, numa opção adicional, amarrada na cintura.

look camisa banca

Camisa e saia evasê

Esse tipo de saia mantém a feminilidade do look, fica ótimo com sandálias ou botas e combina com camisas jeans ou xadrez, que trarão o toque junino à coisa toda.

Bloggers

Um pouco de tudo

Ficou meio difícil separar esses looks por categorias, porque eles misturam diversos tecidos e estampas, mas sempre ajudando, de forma óbvia ou não, a compor um look com o clima da festa.

Celebs

Vestido xadrez

E vocês, o que pretendem usar na festa do trabalho? Me contem nos comentários e não esquecem de seguir o blog no Instagram e curtir a fanpage no Facebook!

8 hidratações pro cabelo que tenho usado e amado!

Certo dia me dei conta de que criei um arsenal de produtos pra cuidar do cabelo nesses últimos tempos, mais especificamente hidratações. Basicamente, toda vez que ia ao mercado, convencia a mim mesma que hidratação nunca é demais e que meus fartos cabelos precisam de só mais um produtinho.

Daí que como todos os produtos que tenho são baratos e super acessíveis, achei interessante divulgar pra o mundo minha humilde opinião sobre eles. Lembrando que não faço cronograma capilar e como aliso os cabelos sou aquela pessoa louca que mira o olhar logo nos produtos para cabelos ressecados, destruídos, detonados, na UTI. Vamos lá?

1. Ampola Pantene: peço licença para replicar o termo criado por Sabrina do Coisa de Diva, mas não há melhor definição para essa ampola que não seja: milagre num potinho! Pantene, amor, você arrasou demais nessa invenção! Já usei outras, mas essa 3 minutos milagrosos é a melhor. O cabelo fica um brilho que ofusca o olhar das inimigas, dos exs e de quem mais decidir invejar seu cabelo.

2. Hidratação Pantene: uma versão mais humilde da ampola, a hidratação também é muito boa! O que mais gosto nos produtos da Pantene é que logo ao passar nos cabelos tenho aquela sensação de desfazimento imediato dos nós. É quase que uma certeza que o negócio vai ficar bom depois que secar!

3. Tratamento Arginina Absoluta Elseve: logo nas primeiras vezes que usei essa hidratação odiei o resultado. Sabe aquele cabelo oleoso e pesado parecendo que não tirou direito o produto no enxágue? Foi essa a sensação que tive, mesmo sabendo que tinha lavado direitinho o cabelo. Depois percebi que o problema estava na quantidade de creme que botei. É difícil perder aquela mania triste de botar creme demais achando que isso é que vai fazer efeito. Eu sempre tento me controlar, mas às vezes dou uma deslizada básica e aí já viu. Depois que maneirei na quantidade, ficou tudo certo na Bahia. Não aaamo de paixão nossa que produto incrível, mas ele hidrata legal sim!

4. Condicionador Monange: a intenção era comprar a hidratação da mesma linha, mas está mais fácil encontrar um político que ainda não tenha sido delatado do que conseguir comprar esse tal potinho da Monange! Daí que na falta dele, peguei a versão mais humilde, o condicionador no caso. Ele é bom, mas não é incrível, sabe? Não achei que pesou, mas também não fica aquele brilho sucesso das ampolas da Pantene. Como tenho medo de só usar uma coisa, o cabelo se acostumar e depois eu perder o efeito, procuro variar e esse condicionador vai ser ótimo pra isso.

5. Yamasterol: super famoso pelos blogs da vida e absurdamente barato, esse produto é mil em um. Pode ser usado antes da lavagem, como condicionador, como creme de finalização, misturado com outras coisas como Bepantol e afins, em resumo, do jeito que você bem entender. Como tenho certo preconceito com produtos menos consistentes, fiquei meio desconfiada desse, porque ele é daquele tipo de creme mais ralinho mesmo. Mas o efeito também é satisfatório e acho interessante justamente pra intercalar com outros mais potentes.

6. Máscara Reparadora Sorali: como pontuei antes, eu faço alisamento nos cabelos com o produto da linha Sorali, então fui convencida, ou diria levemente forçada, pela minha cabeleireira a comprar o creme de hidratação da mesma marca. O tenho há muito tempo, mais de um ano, e o negócio parece nunca acabar. Esse é o produto mais caro do post, pois é de uma linha profissional, e por isso mesmo tem uma textura mais encorpada e não precisa passar muito. Apesar de no momento da aplicação o cabelo não se desembaraçar automaticamente, como acontece com outros cremes, o resultado é muito interessante e os fios ficam hidratados.

7. 3 Minute Miracle Aussie: não tem uma mulher que não conheça esse produto, creio eu. Idolatrado por toda e qualquer blogueira que viajava pro exterior e fazia questão de trazer seu estoque pra cá e publicar nas redes, a marca já é vendida no Brasil a um preço ainda surreal se comparado ao que custa fora. E sim, ele é bom! Tive o mesmo problema do Elseve na primeira tentativa, passei demais e deixei tudo meio melecado. Depois que peguei o jeito da quantidade, foi só sucesso. Hidrata bastante mesmo e o produto é bem consistente, o que na minha cabeça é um indicativo de qualidade, se faz sentido não sei haha

8. Óleo de coco: por fim, mas não menos importante, o famigerado óleo de coco. Talvez Yasmin Brunet tenha sido a pessoa que trouxe à tona esse produto ao declarar que usava-o para manter suas madeixas de Rapunzel apresentáveis. Talvez não. Mas o que se sabe é que todo mundo agora usa óleo de coco em tudo! E aí que como não sou boba nem nada (ou diria que fui altamente influenciada, mas enfim), corri atrás do meu e aprovei. O óleo é muito bom realmente e o mais importante é que não deixa o cabelo empapado se você lavar direitinho. Uso antes da lavagem, fazendo umectação, e se não implicasse num trabalho a mais que nem sempre eu estou disposta a ter, faria sempre. Aprovadíssimo!

E você, o que tem usado nos cabelos? Já testou algum desses produtos? Me conta aí nos comentários e não esquece de seguir o blog no Instagram e curtir no Facebook!

Moda masculina: dicas de estilo para homens básicos

Oi, gente!

Depois de um período sabático (haha meu sonho dizer que vou tirar um ano sabático), decidi voltar à rotina de posts com um dedicado à moda masculina.

A pedidos de um amigo que deseja melhorar seu estilo, busquei referências fashion o suficiente para o look não passar totalmente despercebido, mas básicas o suficiente para que os homens do mundo real, típicos brasileiros alheios ao último grito da moda, se sintam à vontade para usar. Então, aqui vai, amigos!

Substitua a calça jeans

Eu sei que jeans é um clássico e nunca ouvi falar de alguém que jamais o tenha usado, mas nem por isso temos que viver apenas da boa e velha calça jeans, certo? Homens do meu Brasil, abram os olhos para outros tipos de calças. E cores! Sei que um passado recente denominado Restart pode assustar a maior parte da população masculina, mas existe um mundo colorido discreto e ainda assim lindo. Para aqueles que ainda não estão preparados para a calça rosa, que tal uma verde militar, azul marinho, cáqui ou bordô? Se liguem nos exemplos:

calça diferente

Jeans com jeans

Acredito que vocês estão pensando que estou levemente desequilibrada, pois acabei de propor a aposentadoria do jeans e agora venho com uma ideia oposta, certo? Errado! A ideia aqui não é abandonar o jeans de vez, mas sim usá-lo com consciência. Normalmente um look considerado estiloso é aquele no qual vemos que houve certo nível de reflexão da pessoa na escolha das peças. É aí que a ideia do jeans com jeans entra. A combinação de peças com mesmo material ou mesma cor está super em alta há algum tempo e é muito simples. Experimente usar sua calça jeans de sempre com uma camisa jeans, seja de mesma lavagem ou com uma diferente. O resultado é lindo, dá um olhada:

all jeans

Experimente um sapato diferente

Nada contra, mas homens, por favor, abandonem aquele Nike Shox 227 molas que vocês sempre usam. Mentira, eu tenho tudo contra. Mas sério, com tantas opções diferentes de sapatos por aí, vamos deixar esses modelos para a academia, combinado? Apresento-lhes o mocassim, o dock side, o tênis branco, o coturno, a birken e, claro, mais um número enorme de possibilidades de calçados diferentes e estilosos.

sapatos

Use uma terceira peça

Essa dica serve para todo mundo e já foi incorporada pelas mulheres, mas os homens mais conservadores seguem ignorando-a. Sei que nessa cidade saariana em que vivemos pode parecer meio difícil incorporar uma camada de roupa a mais no look, mas não custa tentar uma camisa jeans aberta, um cardigan levinho, uma jaqueta para os dias em que o tempo dê uma esfriada. Faz muita diferença no visual e tenho certeza que vai atrair olhares!

terceira peça

Opte por estampas e tecidos diferentes

Nem só de camisetas com estampas praianas e/ou frases good vibes e engraçadinhas se vive a vida. Escolher estampas mais ~maduras faz bem e ajuda a imprimir um estilo próprio. Eleger tecidos diferentes, como a flanela e o jeans, é outra ótima alternativa.

camisas

Busque referências

Seja o estilo básico ou não, ter referências facilita muito a vida e nos ajuda a ampliar o olhar. Vestir-se bem tem muito a ver com acostumar os olhos a um novo hábito de vestimenta e às novas possibilidades antes ignoradas. E isso requer prática, observação e passos lentos. Então agradeça ao universo por viver num mundo tecnológico e dispor da internet pra consultar looks quando quiser. Para ajudar, fiz uma pasta de moda masculina no Pinterest do blog, é só dar uma conferida lá e salvar os looks preferidos. Abaixo, alguns homens bem vestidos para se inspirar.

Celebridades

Se você gostou desse post, não esquece de comentar e mostrar pros seus amigos que estão precisando de uma forcinha para se vestir melhor. Os olhares aguçados agradecem! Ah, e claro, não esquece de seguir o Achados no Instagram e nos curtir no Facebook. Voltei com tudo, galera!

7 dicas de como melhorar seu estilo!

Muitas vezes leio e ouço de algumas pessoas que elas gostariam de ser mais estilosas ou se vestir melhor, mas não sabem o que fazer. Às vezes, eu mesma observo algumas meninas que considero muito bem vestidas e penso: quero ser assim, ter um estilo que me identifique e que faça alguém pensar que uma coisa x é minha cara.

Lapidar seu estilo (ou adquirir um) é algo que exige esforço e um certo discernimento fashion, mas é suuuper possível, te garanto! Mas, lembre-se, não estou falando aqui de definir que seu estilo será um específico e pronto, nunca mais poderá usar uma roupa fora dele. Quero conversar sobre o estilo pessoal mesmo, aquele que cada um monta de acordo com os gostos e necessidades, afinal roupa não é somente querer, mas também poder (financeiramente, clima, rotina etc).

Quer se sentir mais estilosa e feliz com os resultados dos looks? Vem comigo!

1. Seja fiel a você mesmo

Antes de aperfeiçoar seu estilo, pense naquilo que te faz bem! Não siga o fluxo do momento e tente se encaixar na tendência que está bombando, mesmo porque o seu estilo não mudará a cada estação. Você pode buscar peças que te agradem dentro do que está na moda, claro, mas não vai se basear apenas nelas para montar seu guarda-roupa (ou não. Caso sua intenção seja ser fashionista™ real oficial, pode ser, na vida tudo é válido).

Na mesma linha de pensamento, não há porque usar peças minimalistas se chamar atenção é sua vibe. Do mesmo jeito, alguém super discreto normalmente quer passar longe de estampas chamativas e looks bombásticos na pegada Thássia Naves. Em resumo, não tem certo e errado, porque errado mesmo é não se sentir confortável por não ser você naquela roupa.

2. Liberte-se de medos e estereótipos

Atire a primeira pedra quem nunca disse uma dessas frases: “noooossa, amei esse sapato, mas ele é estiloso demais para mim, não tenho coragem”, “queria muito usar essa saia midi que tá na moda, mas sou muito baixinha pra isso”, “esse tipo de calça fica lindo nos outros, mas em mim iria ficar horrível” ou “não tenho mais idade para usar esse tipo de roupa”.

Claro que se você não se sente bem em usar determinada peça, não a use, é simples. Agora que tal parar de podar suas vontades baseada em regras que uma vez te disseram para seguir? Não tenha medo de usar uma roupa que teoricamente só ficaria bem em pessoas altas só porque você tem um metro e meio e não se importa com isso. Eu mesma sou baixinha e não faço questão de disfarçar, mesmo porque seria uma tentativa frustrada haha

1

Existem inúmeras regras de consultoria de imagem para harmonizar a silhueta e disfarçar o que nos incomoda, mas aí que está a grande questão, essas dicas são para o que não gostamos ficar menos evidente, mas nunca para nos escondermos atrás das roupas por medo de tentar algo novo e acabar se expondo.

Proponho um exercício simples e que vai abrir sua mente: antes de julgar uma peça de roupa na arara por ela não se encaixar no que teoricamente seria apropriado para você, experimente-a! Antes de dizer que um sapato de um jeito tal é muito estiloso para você, calce-o e dê uma voltinha pela loja, quem sabe não se apaixona e acaba levando? Se uma coisa fica bem na sua amiga, não há porque pensar de antemão que não poderia ficar bem em você também, não é mesmo?

3. Inspire-se em pessoas com o estilo que você deseja ter

Referência é tudo no mundo da moda! Muitas vezes vemos um look alheio e isso abre nossos olhos para possibilidades de combinações que não tínhamos pensado antes. Ou então anotamos no nosso post-it mental o que não fazer nunca na hora de se vestir hahaha Seja por um motivo ou outro, sempre é algo útil!

Se você quer definir melhor seu estilo, busque por pessoas que se vistam de um jeito que você gosta. Pelo amor de deus, não estou dizendo aqui para virar clone de ninguém, mas ter um ícone fashion ajuda bastante. Não só um, muitos! Uma ferramenta incrível para isso é o Pinterest (dá uma olhada no do Achados), por lá você pode criar painéis com fotos dos looks que gostou e sempre dar uma consultada quando estiver meio perdida em que roupa usar.

olivia-horz

O instagram também é ótimo para isso, principalmente com esse novo espaço em que podemos salvar as fotos de outra pessoa numa área específica para olhar depois. E, claro, não se esqueça de olhar ao seu redor. Todo mundo conhece alguém que seja estiloso e inspirador, aquela colega que está sempre vestindo algo legal do jeito que você gostaria de ser. Pois então, seja um bom observador para buscar referências e quem sabe redescobrir um jeito de usar aquela sua peça esquecida no guarda-roupa ou que você sempre usa do mesmo jeito.

4. Vá arriscando aos poucos

Se você é super básico e quer ficar mais fashionista, comece devagar. O mundo não foi feito do dia para noite (diz que foi em 6 dias, mas acho que durou um pouquinho mais haha) então por que seu estilo iria ser alterado radicalmente assim? Tenha calma, miga! Ninguém sai do look jeans e camisa branca para vestido de carnes igual Lady Gaga. Que tal escolher uma peça mais diferentona do seu habitual para usar em conjunto com o que já está acostumada?

thassia-horz

Essa tal peça fashionista não precisa ser a mais destruidora das passarelas, ela tem que ser o que é diferente da sua realidade! Para pessoas que nunca usam salto, uma sandália de tiras com salto fino é absurdamente diferente e até desafiador. Para quem está sempre com acessórios super discretos, um maxi colar é algo ultra fashion. Entendeu a ideia?

5. Respeite sua rotina

Do que adianta eu botar na cabeça que quero porque quero adotar o mesmo estilo de Blair Wardolf se eu moro em uma cidade quente, ando de ônibus e trabalho em um ambiente formal?

Na hora de idealizar um estilo, respeite a sua realidade. Se você tem filhos pequenos, provavelmente precisará lidar com situações diferentes, como sair para brincar, se abaixar e levantar para pegar a criança. Se mora numa cidade fria, terá que usar roupas que te deixem aquecido (sorte sua, queria, inclusive kkk), já se sua cidade é quente, vai ter que se virar para ficar estiloso com roupas leves e mesmo assim adequadas aos ambientes que frequenta.

Nunca se esqueça também de tentar encontrar um equilíbrio entre seu estilo pessoal e aquilo que pode ser usado no seu ambiente profissional. Infelizmente se você gosta de roupas mais esportivas e trabalha num lugar muito formal, dificilmente conseguirá vestir apenas o que quer. Do mesmo modo, uma surfista profissional terá poucas chances de usar saia lápis no dia-a-dia, ainda que ame esse tipo de peça.

6. Pense no look antes de sair

Essa dica é simples, mas pouco usada. Quais as chances de um look escolhido na correria antes de ir trabalhar ser tão interessante quanto um pensado com calma no dia anterior? Baixas! Na pressa, acabamos optando pelo básico e morremos na zona de conforto. Se sua intenção é sair dela, dedique alguns minutos na noite anterior para separar o que vai vestir no dia seguinte. Se necessário, vista as roupas! Quando não temos experiência, a montação que criamos na nossa cabeça nem sempre corresponderá à verdade dos fatos, confie em mim.

Uma frase da Cris Guerra, autora do livro Moda Intuitiva, se encaixa muito bem nessa dica: “vestir-se é um exercício de inversão de expectativas, a começar pela sua própria”. Para inverter nossas expectativas e sairmos do habitual, é preciso esforço e um tanto de dedicação.

7. Não se importe com a opinião alheia

leandra-medine-horz

Mudar o estilo provavelmente vai chamar a atenção das pessoas ao seu redor. E como tudo na vida, é impossível agradar a todos. Sempre vai ter aquele infeliz para dizer que preferia seu jeito de antes ou que tal roupa não é bonita. Mas você vai ligar para isso? De modo geral, não! É sempre bom ter um amigo conselheiro entendedor de moda por perto para te dar a real e dizer o que pode ser melhorado, mas não caia na tentação de se importar com todas as opiniões do mundo. Por fim, se faça uma simples pergunta: qual a consequência mais terrível que terei que suportar por usar uma roupa e depois achá-la feia? Provavelmente nenhuma. Então vida que segue, na próxima você acerta!

Aos que sobreviveram a esse textão, meus sinceros agradecimentos haha Mas falando sério, o que importa mesmo é se sentir bem e ficar feliz com suas escolhas de roupas, sejam elas fashionistas ou básicas.

Se gostou, não esquece de indicar para os amigos, quem sabe esse mini manual não ajuda alguém? Até a próxima! Continuar lendo “7 dicas de como melhorar seu estilo!”

Nas lojas: o primeiro de 2017

Começo de ano combina com o quê, gente? Além de férias, praia, listas de resoluções e a promessa de que nesse ano seremos fitness, todo janeiro é a mesma coisa: liquidação! E daí que fica difícil resistir às etiquetas vermelhas, laranjas ou a cor chamativa de sua preferência.

Fui ao Shopping da Bahia e encontrei várias coisinhas lindas, mas como guerreira que sou consegui me segurar e levar apenas duas para casa. Vamos ver o que achei de legal por lá?

Na Renner, encontrei esses dois sapatos. O da direita da Moleca é uma flatform imitação daquele modelo que estourou ano passado da Stella McCartney e sai por R$ 149,00. Achei bem legal, compraria facilmente. O da esquerda é uma boa opção para quem quer se aventurar pelos mules gastando menos, pois tá na promo por R$ 69,90. (Não sabe o que é mule? Dá uma lida aqui!)

sapatos-renner

Já na Zara, esse tênis dourado super lindo e o modelo mais esportivo saem por R$ 99,00, cada.

sapatos-zara

Na Forever 21, queria levar bastante coisa e pela primeira vez na história dessa loja (menos, bem menos hahaha) não tinha fila no provador! Seria o sinal de que 2016 realmente acabou e levou com ele os tormentos da vida? Creio que sim… Pois bem. Essa t-shirt I do not care estava por uns 40 reais, mas eu esqueci de anotar, porque lerdeza é isso! A calça skinny preta foi R$ 69,90 e eu prontamente a adquiri porque veste muito bem! Me lembrou aquelas calças que a Zara sempre tem de várias cores (e que dessa vez não tinha), mas por um preço bem melhor!

O modelo jeans já achei que ficou levemente ~fofado perto do bolso, reparem só. Mas de modo geral ela veste bem também e sai pelo mesmo preço. A camiseta canelada de gola rolê custa o não módico valor de R$ 65,90. Comparativamente não é bizarro que uma blusa e uma calça custem o mesmo preço? Pra mim é!

Ainda por lá, short preto de cintura alta por R$ 65,90 também. Achei bem bonito ele!

looks-forever

Por fim, dois vestidos bem diferentes no estilo, mas igualmente lindos. O da direita é todo de renda e com esse comprimento midi que eu tenho amado! Achei muito muito maravilhoso, não resisti e comprei. Esse modelo é bem parecido com um que tinha na inauguração da loja, mas num tom rosa, e sai por R$ 79,90.

O da esquerda, mais bonequinha com a saia rodada, custa R$ 69,90. O tecido dele é ótimo, porque modela perfeitamente, sem marcar demais nas áreas indesejadas e ainda dá um lindo caimento à parte de baixo. Fiquei beeem tentada a comprar esse também, mas tudo nessa vida tem limites, inclusive o cartão haha

looks-2

Ficaram com vontade de comprar algo? Não me deixem gastar dinheiro sozinha, hein? haha